Selomar Blödorn

Selomar Blödorn

Segunda, 07 Novembro 2016 14:33

Se você mudar, o mundo muda com você!

O Ponto de apoio por trás de todos os passos que damos na vida chama-se atitude. Uma mente aberta proporciona crescimento e ninguém aprende nada se não admitir que não conhece tudo. Se a capacidade de escolher é nossa maior liberdade, não podemos abrir mão de escolher o nosso caminho. Quem quer ser alguém tem que sair do caminho de ninguém, sabendo que o alguém pensa positivo e o ninguém apenas reclama da vida.

O ser humano sabe que está onde seus pensamentos o levam e que está construindo o futuro pela qualidade de sua forma de pensar. Ninguém pode lhe dar paz a não ser você mesmo. As nossas atitudes nos empurram para frente, na direção de nossas vitórias ou fazem com que nos atolemos na derrota.

O fracasso e o sucesso são primos em primeiro grau e trilhar cada pedaço desta estrada é sempre uma questão de escolha, de atitude de fé, de olhos de fé, coisa que muitos acham até uma besteira, mas que fazem a diferença na vida de muitos. Por isso sempre falo que não existe meia fé como não existe meia verdade. Meia verdade, aliás, no meu vocabulário, é mentira. A fé é assim: ou é ou não é, não existe meio termo.

Na verdade, somos nossas próprias atitudes, pois vivemos num mundo de escolhas. Uma mudança na maneira de pensar e agir pode resultar em mudanças drásticas na vida de uma pessoa.

Tenho percebido que na vida mudam-se os personagens, mas a história continua a mesma, isto é, se repete. Aquilo que tanto criticávamos em nossos pais, na condição de filhos, agora na condição de pais agimos rigorosamente iguais com os nossos filhos. O modo como encaramos a vida determina nosso sucesso ou nosso fracasso.

As três melhores atitudes que podemos assumir para ter mais sucesso e melhorar resultados na vida são: Pensar com a mente aberta; pensar por si mesmo e pensar de modo construtivo. Aprender é uma atividade vitalícia e isso precisa ser ensinado com urgência. Ninguém nunca sabe tudo e graças a Deus que é assim, caso contrário, não teríamos motivos para crescer. A lamentação é um vício nacional.

Para que as coisas mudem e melhorem, o melhor é começar por nós mesmos, nossos pensamentos e nossas atitudes, ou seja, ter coragem para mudar.

 

SELOMAR PALM BLÖDORN

PRESIDENTE ACI/CDL 2015/2017

 

 

 

Quinta, 08 Setembro 2016 18:15

O que significa motivação?

O ser humano possui duas escolhas na vida: ficar onde está, sem evoluir um único centímetro, ou ir em busca de suas conquistas e alcançar objetivos pessoais e profissionais. Para alguns, isso é chamado de "livre arbítrio", para outros "arregaçar as mangas e correr contra o tempo". Não importa que denominação receba a força que move as pessoas. A motivação é algo que se alimenta do interior de cada indivíduo, e cabe a cada um fazer o seu papel.

Por outro lado, vale lembrar que as empresas também possuem uma importante parcela de colaboração para motivar os profissionais. A questão em si não é o quanto investir, mas que ações realmente fazem os indivíduos sentirem-se parte da realidade corporativa e não apenas serem meros espectadores. O ser humano é motivado por natureza, vindo de uma fusão de equipe, o pai e a mãe, cada um entrando com 23 cromossomos e nessa fusão acontece uma verdadeira explosão de 300 bilhões de genes.

Nasce aí o ser mais motivado do mundo, vencendo uma concorrência em gens equivalente a quase 50 populações do planeta Terra. O ser humano nasce, cresce e vive num ambiente global e competitivo onde uns tem mais sucesso que outros. É a competição da vida. Alguns são até mais felizes que outros. Assim, no universo corporativo, penso que o que vai definir o resultado é essa junção das duas situações, ou seja, da parte da empresa, criar mecanismos que trabalhem o estímulo das pessoas e da parte dos funcionários entenderem que eles podem buscar suas diferenças, buscando conhecimento. É isso que constrói uma carreira de sucesso no mercado.

Conhecimento destrói incertezas. Conhecimento com motivação constrói resultados. A pergunta que se faz é: Como trabalhar a motivação? O líder deve saber trabalhar com duas situações. Em primeiro lugar, perceber que ele estará diante de pessoas e estas são na sua essência muito diferentes, com reações e perfis diferentes. O que fazer? Saber aceitar as diferenças individuais e ao mesmo tempo trabalhar o potencial de cada um. Não se pode construir uma empresa 100% em excelência e resultados com uma equipe 50% em comprometimento com metas, qualidade ou na aceitação dos desafios.

 

SELOMAR PALM BLÖDORN

PRESIDENTE ACI/CDL 2015/2017

Quinta, 28 Julho 2016 05:32

O Poder das Pequenas Vitórias

Vivemos numa sociedade onde todo mundo só olha para aquilo que tem alto impacto. O que é importante explode na mídia. O resto não existe. O que chama a atenção é para a brutal carência de autoestima de todos nós, versus a necessidade de buscarmos grandes êxitos, efeitos retumbantes e o esquecimento, a desvalorização total do poder das "pequenas vitórias". 

As pequenas vitórias são aquelas que conseguimos - em grande maioria, anonimamente. Vencermos uma preguiça diária, para colocarmos em ordem um arquivo de dados históricos da nossa empresa; realizarmos novas vendas, ainda que pequenas, para clientes novos, ampliando o campo de possibilidades do nosso empreendimento; despedirmos um parente inútil que carregamos nas costas por mais de dez anos; conseguirmos dizer eu amo você, para um filho ou uma pessoa querida, vencendo a vergonha interior de assumir isso; largar um emprego onde não havia mais satisfação alguma de felicidade nele; mudarmos de vida, de cidade, de relações; começarmos e terminarmos a leitura de um livro importante para nossa profissão, mas que era muito chato de ler; finalizar uma tese, um trabalho na escola; acabar com um vício. 

As pequenas vitórias são aquelas que precisamos aprender a celebrar todos os dias, pois se não fizermos isso, com certeza ficaremos dominados pelas pequenas derrotas. Elas vão se agigantando na nossa mente e ficamos cada vez mais dependentes dos ídolos, dos símbolos de sucesso e status que nos cercam, para termos alguma ideia de que somos alguém. 

A necessidade da idolatria, das constantes referencias ao empreendedorismo do Bill Gates, ao glamour do mundo de Caras, aos casamentos de negócios entre pessoas famosas, dessa "fofocada" toda de superficialidade e de exemplificações inatingíveis para a grande maioria dos mortais, só servem ao objetivo de anestesiar todos nós, e nos mantermos reféns e dependentes de um falso grande poder de sucesso mágico.

 

SELOMAR PALM BLÖDORN

PRESIDENTE ACI/CDL 2015/2017

A frase "Tamanho não é documento" pode ser uma reflexão interessante para muitas situações da vida. No caso do varejo também. Uma loja não precisa ter dimensões gigantescas para ser eficiente e lucrativa. Mais importante do que os metros quadrados que ela ocupa é que ela "ocupe" realmente o seu espaço, com a devida competência.

Mesmo um comércio de pequeno porte ou uma loja de bairro, ou até mesmo focada em determinado segmento, pode ter uma operação eficaz. Ela só não pode ser modesta na disposição para ouvir o mercado - seus clientes e público-alvo, principalmente -, e no exercício permanente de investir em treinamento.

Entende-se por treinamento tudo que considere melhorar o desempenho de sua equipe, seja ela de qualquer área. Uma equipe de compras bem formada, por exemplo, tem olhar atento e ouvidos sensíveis ao que acontece ao seu redor. Sabe observar a concorrência e criar alternativas para competir de forma criativa e ética.

Na parte de vendas, o treinamento terá a missão de formar uma equipe preparada para orientar os clientes em suas compras, a serem atenciosos sem que sejam inconvenientes, a não responder qualquer coisa diante de uma pergunta mais específica, deixando o cliente mais inseguro do que já estava, por exemplo. Este, aliás, é o pulo do gato em muitos lugares.

Saber entender o que seu consumidor valoriza e desenhar a loja - do mix de produtos, estoque até à disposição na gôndola - da forma que o SEU CONSUMIDOR se sinta bem recebido; ter uma equipe capacitada, educada e que possa ser um consultor do cliente na hora de alguma dúvida; praticar preços adequados para o seu segmento, tudo isso vai fazer de sua loja uma referência para quem a frequenta e contribuir de forma significativa na fidelização de uma boa clientela.

 

SELOMAR PALM BLÖDORN

PRESIDENTE ACI/CDL 2015/2017

 

Segunda, 02 Maio 2016 09:08

Como preparar sua loja para vender mais

Diz o ditado que "quem vê a cara não vê o coração". Muito singelo e romântico quando se trata de amor ao próximo, porém, sem qualquer aplicação ao comércio, pois em um mercado competitivo e com os clientes cada vez mais exigentes e seletivos, a "cara" do estabelecimento será totalmente responsável pela quantidade de visitas que o mesmo passará a ter.

Podemos entender que a "cara" de uma loja seja exatamente sua área externa, ou seja, a fachada. A fachada é toda a área frontal da loja incluindo os muros, paredes, luminosos e demais equipamentos de comunicação.

Para que uma loja se diferencie de seus concorrentes deve causar um primeiro impacto que seja positivo e eficaz. A utilização de cores adequadas em fachadas e a arte dos luminosos podem transmitir vários significados diferentes que poderão ou não chamar a atenção dos clientes.

A fachada da loja deve despertar o interesse dos clientes logo nos primeiros segundos, caso contrário passará despercebida. Para que o cliente seja ainda mais atraído é importante que a vitrine auxilie no destaque da loja e dos produtos. Caso não exista vitrine em sua loja, procure adequar as sugestões deste artigo no acesso da loja e áreas nobres de exposição dos produtos.

A vitrine deve ser renovada com frequência. Esta renovação tem várias finalidades: mostrar os tipos, modelos e cores de produtos, evitar o cansaço pela falta de criatividade e até mesmo manter a boa conservação dos produtos expostos, pois caso sofram com a incidência do sol, podem vir a perder suas características como cores, textura e qualidade.

Procure conciliar a criação dos ambientes e decoração da vitrine de forma a manter uma identidade junto à imagem da empresa. Assim, cria-se uma identificação visual clara junto aos clientes e sempre que desejarem determinados produtos irão se lembrar primeiramente de sua loja.

Aproveite para trabalhar com variação de cores nas paredes ou móveis e equipamentos, no interior de sua loja. De acordo com o perfil de sua loja e seus clientes, utilize cores mais alegres ou neutras, frias ou quentes, de forma a aumentarem a harmonia no ambiente e torná-lo ainda mais agradável. Caso tenha painéis com imagens, divulgando os produtos, utilize-os também, mas sem exageros.

 


SELOMAR PALM BLÖDORN

PRESIDENTE ACI/CDL 2015/2017

Terça, 12 Abril 2016 05:14

Em vez de reclamar...

"Viver requer maturidade para reconhecer que o que reprovo na estrada, pode ser apenas sujeira no parabrisa."

RESPONDA depressa: quantas vezes você já reclamou hoje? Se estiver dentro da média, acredito que tenha se queixado de pelo menos meia dúzia de coisas desde que despertou esta manhã. E se especifico "na média" é porque há pessoas que vão além, que têm o hábito de reclamar de tudo. Basta perguntar "como vai?" para elas se queixarem. Como disse certa vez o filósofo alemão Arthur Schopenhauer, "raramente pensamos naquilo que temos, mas sempre no que nos falta." Ouvi uma história exemplar a esse respeito. Para lembrar seus alunos de dar mais valor à própria vida, um professor criou um exercício interessante. Propôs que os jovens passassem 24 horas sem reclamar. A primeira reação deles, claro, foi criticar a tarefa. Mas, em seguida, concordaram em anotar em um papel cada vez que estavam na iminência de resmungar – e do quê. Na avaliação, a turma se surpreendeu. Primeiro, com o alto número de reclamações. Depois, por elas não serem relevantes. "Não tenho tanto do que reclamar", disse um aluno. "Reclamo de coisas banais", concluiu outro. Na segunda parte do exercício, o mestre distribuiu folhas onde se lia: "Agradeço por…" e pediu a eles que completassem a frase. Todos fizeram listas longas, em geral incluindo o amor de pessoas queridas, saúde, segurança, liberdade, posse de bem materiais, habilidades, experiências, oportunidades, conhecimentos. Por fim, o professor recomendou que cada um lesse sua lista quatro vezes ao dia. Ao final do exercício eles confessaram sentir uma enorme diferença. A valorização da abundância, como previa o professor, provocou mudanças visíveis nas pessoas, melhorando da postura à expressão corporal, além de ter colocado sorrisos em todos os rostos. A lição ficou para a vida: os alunos descobriram que ao voltar sua atenção para os aspectos positivos, estavam dando espaço à felicidade.

Sentir e expressar gratidão pode – e deve – se tornar um hábito. Basta lançar um olhar atento para dentro de si mesmo e perguntar: tenho mais motivos para agradecer ou para me queixar? A resposta irá aparecer nas suas atitudes.

Selomar Palm Blödorn

Presidente ACI/CDL 2015/2017

 

 

Segunda, 29 Fevereiro 2016 16:04

Como Manter Sua Equipe Unida

Nos negócios ou fora deles, nada é mais valioso que a união das pessoas. Em sua equipe não é diferente. É preciso que todos caminhem juntos, para obterem os resultados desejados. Conclui-se, portanto, que a unidade é a alma de uma equipe vitoriosa. Sendo assim, relacionamos alguns passos para resgatar e manter a unidade de sua equipe:

  1. Prefira incentivar a criticar

É sempre mais fácil ficar de lado e atirar pedras naqueles que estão trabalhando e servindo do que se envolver e contribuir. Críticas existem e são importantes na melhora do comportamento e conquista de resultados, porém não se deve julgar ou desprezar quem quer que seja simplesmente por terem convicções diferentes. Ao contrário, as pessoas da equipe devem estar juntas, buscando a harmonia uns com os outros, ajudando-os mutuamente com palavras encorajadoras, pondo-os para cima, apontando suas virtudes e não suas falhas.

  1. Recuse ouvir fofocas

Fofocar é transmitir informações quando você nem é parte do problema e nem da solução. Quando alguém começar a fofocar ao seu lado, não dê ouvido. Diga que pare e que você não precisa disso. A melhor forma de se por um fim nesse assunto é enfrentar os que fofocam e pedir para que parem. As fofocas acabam quando o fofoqueiro não encontra ninguém que lhe dê ouvido.

  1. Busque a solução de conflitos

Onde há pessoas com diferentes ideias, existe a possibilidade de haver conflitos. Nesse caso é sempre melhor se buscar a solução o mais rápido possível. O primeiro passo é conversar direta e particularmente com os envolvidos. Se não for possível solucionar dessa forma, o segundo passo é ter alguém que sirva de testemunha para ajudarem a confirmar o problema e reconciliar a relação entre eles. Caso ainda não seja solucionado o conflito, o melhor caminho é levar esse problema para que todos da equipe possam ajudar. Se ainda assim persistir, talvez seja melhor afastá-los da equipe.

 

Selomar Palm Blödorn

Presidente ACI/CDL 2015/2017

Segunda, 07 Dezembro 2015 13:59

O que fazer com o 13º?

O fim de ano já chegou. Com o 13º salário na conta e o clima de festa no ar, por que não fazer aquela viagem dos sonhos durante as férias? Eis, então, que bate aquela dúvida: com um extra no bolso, será que dá pra se permitir pequenos luxos ou o melhor é aproveitar pra pagar as dívidas pendentes? Antes de sair gastando por aí, pare e reflita. Faça um diagnóstico da sua situação financeira.


Está endividado? Reserve parte do 13º para quitar o cheque especial, as contas atrasadas, o cartão de crédito. Faça uma listinha de todas as coisas pendentes. Aproveite o momento para traçar uma estratégia financeira de longo prazo. São pequenos gestos que podem mudar sua vida, evitando que você se afunde em novas dívidas. Crie uma planilha com gastos diários. Anote suas despesas com moradia, transporte e alimentação, além dos supérfluos.

Nada melhor do que começar o novo ano livre de dívidas. Deixe também espaço para guardar uma graninha. Aprenda a poupar. Não esqueça que imprevistos acontecem e o futuro um dia baterá à sua porta. Agora, se você mantém suas finanças sob controle, separe uma parcela maior do 13º para guardar. Quanto maior for a soma de dinheiro poupado, mais rápido você atingirá a independência financeira e conseguirá colocar em prática seus sonhos de consumo.

Aplicar em poupança é ideal para quem tem pouco dinheiro sobrando e projetos de curto prazo. Se você consegue separar mais grana, arrisque em títulos do governo e fundo de investimentos.

Mas não se martirize se você está longe de ser um exemplo de pessoa equilibrada nas finanças. Um pequeno desejo pode ser realizado com o 13º. Basta saber usá-lo bem!

 

Selomar Palm Blödorn

Presidente ACI/CDL

Domingo, 26 Julho 2015 00:00

OS INIMIGOS MORAM PERTO

Todas as pessoas quando acordam para trabalhar desejariam, com certeza, ter o triunfo, vencer suas metas, conquistar novos e importantes clientes. Só que poucos acabarão conseguindo. E por que será que isso acontece? Na grande maioria das vezes, porque somos derrotados de forma impiedosa pelos nossos inimigos. Pensou nos concorrentes? Esqueça, eles estão muito longe. Os verdadeiros inimigos vivem muito perto da gente.

O maior de todos os inimigos é você mesmo. Digo sempre que você só precisa vencer a você mesmo. Vencer a tendência ao desânimo, vencer a rotina, vencer aquela sensação que lhe faz não experimentar seu máximo é o maior de todos os desafios. A grande maioria das pessoas no mundo ainda não entendeu que as pessoas de sucesso têm uma persistência incomum para seguirem acreditando mesmo quando os outros não acreditam mais. Lute contra o desânimo, não deixe que esses sentimentos contagiem você e acredite que se você realmente usar tudo que sabe no trabalho e colocar amor no que faz, sua vida vai ser cada vez melhor. Quer uma inspiração? Pense agora nas pessoas que você ama e lembre que também por elas você vai dar o seu melhor.

O segundo inimigo são aqueles colegas que, sem maldade nenhuma, acabam puxando você para baixo. E convenhamos, não é fácil resistir trabalhando mais de 08 horas por dia ao lado de alguém que acredita que o melhor está em outra empresa, que a vida é injusta, que não vale a pena se "matar" trabalhando como eles gostam de dizer. São aquelas pessoas que não podem ver você com brilho nos olhos que logo tentam botar você para baixo, porque o que eles mais odeiam é ver alguém triunfando enquanto a vida deles não anda para a frente.

Depois de mais de 30 anos lidando com pessoas, vi tanta gente vencendo na vida e outras passando em branco que possa afirmar, com certeza de que, se você vencer os seus inimigos internos e não deixar que pessoas negativas que trabalham com você acabem com seu entusiasmo, o triunfo é só uma questão de tempo.

Eduardo Tevah.

SELOMAR BLÖDORN

PRESIDENTE ACI/CDL – SLS

EMPRESÁRIO - AGAFARMA

Segunda, 25 Agosto 2014 00:00

Mudar de ideia...

Imagine-se viajando numa lancha com o piloto automático ajustado para o Leste. Se você decidir dar a volta e seguir para o Oeste, haverá duas formas possíveis de mudar a direção do barco. Primeiro é mudar a programação do piloto automático. Segunda forma é agarrar a roda do leme e forçá-la, fisicamente. Com força de vontade você poderia até vencer o piloto automático, mas sentiria constantemente uma resistência. Seus braços acabariam se cansando do esforço, você soltaria a roda do leme e a lancha, instantaneamente, voltaria para o leste da forma em que estava programada.

É isso que acontece quando você tenta mudar sua vida apenas com força de vontade. Você diz: “Vou comer menos... Fazer mais exercícios... Deixar de me atrasar, vou ser mais organizado”. A força de vontade pode produzir mudanças em curto prazo, mas cria uma pressão interna constante, porque você lidou com a causa básica. A mudança não é natural, então você acaba por desistir, sai da dieta, deixa de se exercitar, continua chegando atrasado, a ser mais desorganizado. Você rapidamente retorna aos padrões anteriores.

Seu primeiro passo em direção ao crescimento é começar a mudar sua forma de pensar. Toda mudança deve sempre ocorrer primeiro em sua mente. Sua forma de pensar determina sua forma de sentir, e o que você sente influencia sua forma de agir.

 

SELOMAR BLÖDORN

PRESIDENTE ACI/CDL – SLS

EMPRESÁRIO - AGAFARMA

Página 2 de 3